]

Categories

Please Contact Europartner

Last News

Auditoria fiscal no Brasil

Para que o investidor possa entender os fundamentos de um planejamento fiscal no Brasil é importante demonstrarmos como as auditorias do pais são realizadas. Esse estudo contábil internacional colabora com […]

Planejamento fiscal no Brasil

Planejamento fiscal no Brasil Para falarmos sobre planejamento fiscal no Brasil, primeiro temos que entender como esta o contexto macroeconômico atual que está caracterizado pela combinação de um cenário externo […]

Important blog guidelines about Brazil



Read about some advantages of investing in Brazil

Brasil 2018, programa de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad apontam para direções diferentes.

Posted 2018-11-14

A Europartner avaliou alguns pontos do plano de governo de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) para condução a política externa (Internacional), e claramente apontam para direções bem diferentes. O plano de governo e as declarações o candidato Bolsonaro acenam para uma aproximação com países mais ricos, principalmente os Estados Unidos. Já o candidato Fernando Haddad, fala em fortalecer alianças com a América Latina e com a África.
As propostas dos candidatos estão descritas tanto em declarações públicas quanto nos planos de governo enviados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Confira esta comparação entre as propostas dos candidatos à presidência do Brasil 2018:

PROPOSTAS JAIR BOLSONARO FERNANDO HADDAD
Política externa
“A estrutura do Ministério das Relações Exteriores precisa estar a serviço de valores que sempre foram associados ao povo brasileiro. A outra frente será fomentar o comércio exterior com países que possam agregar valor econômico e tecnológico ao Brasil.” – Plano de governo
“Deixaremos de louvar ditaduras assassinas e desprezar ou mesmo atacar democracias importantes como EUA, Israel e Itália. Não mais faremos acordos comerciais espúrios ou entregaremos o patrimônio do Povo brasileiro para ditadores internacionais.” – Plano de governo

“Além de aprofundar nossa integração com todos os irmãos latino-americanos que estejam livres de ditaduras, precisamos redirecionar nosso eixo de parcerias.” – Plano de governo
“Países que buscaram se aproximar, mas foram preteridos por razões ideológicas têm muito a oferecer ao Brasil, em termos de comércio, ciência, tecnologia, inovação, educação e cultura.” – Plano de governo

“Ênfase nas relações e acordos bilaterais.” – Plano de governo
“Propomos, assim, a redução de muitas alíquotas de importação e das barreiras não-tarifárias, em paralelo com a constituição de novos acordos bilaterais internacionais.” – Plano de governo

“Continuamos fazendo contato com autoridades fora do país, visando a possibilidade de vitória [na eleição], e nós vamos abrir o nosso comércio para o mundo civilizado, o 1º mundo por assim dizer. E essa forma de diálogo por exemplo e confiança da nossa parte ajudará e muito a nossa economia.”

Pretende extraditar o terrorista Cesare Battisti, amado pela esquerda brasileira, imediatamente em caso de vitória nas eleições

O candidato também sinalizou mudança nas relações com China, pretende manter as relações comerciais com o parceiro – maior importador e exportador para o Brasil –, “Só não podemos permitir que a China ou qualquer outro país em vez de comprar no Brasil venha comprar o Brasil”.

Bolsonaro deve se afastar da Venezuela, o Brasil não pode admitir “essa ideologia” em seu território. Sobre os imigrantes venezuelanos no país, o presidente propôs a criação de um campo de refugiados.

“Nesse cenário, o Brasil deve retomar e aprofundar a política externa de integração latino-americana e a cooperação sul-sul (especialmente com a África), de modo a apoiar, ao mesmo tempo, o multilateralismo, a busca de soluções pelo diálogo e o repúdio à intervenção e a soluções de força. O fortalecimento dos BRICS é outra diretriz essencial de uma política externa que reforce a presença dos países em desenvolvimento na agenda internacional e proponha o desenvolvimento de novos instrumentos de cooperação e reformas nos organismos multilaterais” – Plano de governo

“O governo Haddad fortalecerá o diálogo mundial pela construção da paz e retomará a cooperação nas áreas de saúde, educação, segurança alimentar e nutricional, entre outras, em especial com países latinos e com a África. O Brasil também voltará a ter presença ativa no Sistema Internacional de Direitos Humanos” – Plano de governo

“É necessário recuperar os avanços na integração. Isso exigirá forte vontade política. Nosso novo governo promoverá a integração das cadeias produtivas regionais, o desenvolvimento da infraestrutura e o fortalecimento de instrumentos de financiamento do desenvolvimento, como Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul – FOCEM e o Banco do Sul. Nesse contexto, serão priorizados esforços para fortalecer o Mercosul e a União das Nações da Sul-americanas– Unasul e consolidar a construção da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos – CELAC, potencializada com a histórica vitória de Lopez Obrador nas eleições mexicanas” – Plano de governo

“Para além da integração sul e latino-americana, a retomada de uma atitude proativa no plano internacional. Serão fortalecidas as iniciativas como o Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul (IBAS) e os BRICS, que levaram à mudança de padrão nas negociações na Organização Mundial do Comércio (OMC) e à transformação do G-8 no G-20.
Privatizações Investidores brasileiros estão animados com a possibilidade de Jair Bolsonaro (PSL) chegar à Presidência da República, devido a suas promessas de privatização – Ainda não muito claras, porém mais interessantes que a do rival. Haddad é contra privatizar ativos públicos, sobretudo de empresas consideradas “estratégicas”, como os setores financeiro e de energia. O programa de governo do PT também propõe conter a “terceirização” do setor público, incluindo a área da saúde.

Programas sociais
Fara uma manutenção no programa Bolsa Família, implantando uma auditoria.
Pretende adotar o Plano Emergencial de Emprego, ampliação do Bolsa Família e do Minha Casa, Minha Vida, investimentos em obras públicas e linhas de crédito mais baratas.
Previdência Social
Diz ser contra a proposta de reforma apresentada pelo governo, por ela ser “grande demais”. Afirmou que irá propor mudanças graduais nas aposentadorias, priorizando o combate à “fábrica de marajás”
Rejeita a proposta de uma reforma da Previdência. Entende que o déficit pode ser superado a partir do combate à sonegação e da retomada da economia, com incentivo à formalização do trabalho.

Reforma Trabalhista
A principal proposta é a criação de uma carteira de trabalho “verde e amarela”, uma opção voluntária onde os novos trabalhadores poderão escolher em manter vínculo empregatício baseado na atual legislação trabalhista ou aderir à nova carteira de trabalho, onde o contrato de trabalho prevaleceria sobre a CLT e poderão escolher seus sindicatos. A proposta de Haddad é a elaboração de um novo “Estatuto do trabalho” alinhado com as novas exigências da produção do futuro. Promoverá uma ampliação do sistema de formação ao longo da vida laboral dos trabalhadores e valorizar os sindicatos valorizando a preparação para qualificação profissional.
Segurança Pública
Para combater a criminalidade, pretende promover o endurecimento de leis penais, fortalecer o policiamento e promover a revisão do Estatuto do Desarmamento. Defende uma política pela “segurança pública cidadã”, ou seja, baseada em programas sociais e combate às desigualdades nas regiões mais vulneráveis e violentas. É contra a legalização do porte de armas.
Teto dos gastos públicos Como deputado, votou a favor da PEC que congelou por 20 anos os gastos públicos. Propõe revogar a medida, que, na sua avaliação, impede os investimentos do estado em setores essenciais, como saúde e educação.
Política econômica
É a favor da manutenção do tripé macroeconômico (com regime de meta fiscal e de inflação, com câmbio flutuante) e defende a necessidade de uma simplificação tributária rumo a um imposto único federal. Propõe reduzir o déficit com o estímulo à atividade econômica e ao consumo somados a uma tributação progressiva, com aumento das cobranças sobre as faixas mais ricas da população e também dos lucros de acionistas na iniciativa privada.

Fontes:
https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2018/10/20/interna_internacional,998780/mercados-preferem-bolsonaro-mas-seu-plano-de-privatizacoes-nao-e-clar.shtml
https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2018/noticia/2018/08/17/o-que-dizem-os-programas-de-governo-dos-candidatos-a-presidencia.ghtml
https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2018/noticia/2018/10/23/saiba-mais-sobre-as-propostas-de-jair-bolsonaro-e-fernando-haddad-para-a-politica-externa.ghtml
https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,reforma-trabalhista-o-que-dizem-os-planos-de-governo-de-bolsonaro-e-haddad,70002551631

Author's post: Europartner Accounting

Hashtags

[Fancy_Facebook_Comments]